Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

E de repente, já nos 30...



Quinta-feira, 01.03.12

A alegria...

... é como o amor.

 

Quando a pessoa se ama profundamente não é dependente do amor externo, ele é apreciado e protegido mas se ele desaparecer a pessoa sente-se triste pela sua ausência mas não fica desamparada ou com a sensação de não ser boa suficiente porque perdeu o amor de alguém.

 

Com a alegria passa-se o mesmo, quando uma pessoa é alegre, é sempre alegre, esteja numa festa ou a caminho do autocarro, é algo que lhe é intrinseco, a sua alegria não está dependente de existir uma situação externa divertida. Claro que perante situações tristes e perdas essa alegria fica abalada, mas ultrapassado esse momento não é preciso haver uma festa para a pessoa estar alegre porque a alegria faz parte da sua forma de ser.

 

Sempre considerei que quem não se ama faz más escolhas e que é extremamente importante desenvolver um amor próprio saudável mas só hoje me apercebi que a alegria também é algo a treinar, a construir, a desenvolver, não é algo que a vida nos traz (tal como o amor também não deve ser), é algo que tem que existir dentro de nós para sermos seres humanos saudáveis. Quando não é assim estamos sempre dependentes do amor de alguém ou de circunstâncias divertidas, e se estas coisas falharem estamos destinados à infelicidade e à constante procura do que não temos dentro de nós.

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Sayuri às 02:24


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.




Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Março 2012

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031